A Mulher no Mundo Automotivo

banner dia da mulher

A mulher foi importante em vários momentos na indústria automotiva que a história é capaz de comprovar. Muitas inventaram coisas essenciais para nosso dia-a-dia no carro e até pilotaram em grandes corridas.

Na matéria de hoje, em comemoração ao Dia Internacional da Mulher, vamos te contar sobre algumas mulheres importantes do mundo automotivo e suas contribuições. Confira!

Bertha Benz

Bertha Benz Dia Internacional da Mulher

No ano de 1888, Bertha e seus dois filhos adolescentes estavam empurrando um carro com motor desligado em frente a casa da família. Não podiam fazer barulho para não acordar o marido. Era o início de uma jornada que entraria para a história do automobilismo.

Bertha era esposa do fundador da Mercedes-Benz, Karl Benz. Fez a primeira viagem de longa distância dirigindo um Patent-Motorwagen feito pelo marido. Os filhos do casal, Eugen e Richard, percorreram cerca de 100 quilômetros entre as cidades alemãs de Mannheim, onde morava a família, e Pforzheim, sua terra natal.

A aventura foi executada em três dias. Na viagem, Bertha entrou novamente para a história e realizou o primeiro conserto mecânico em um carro usando um alfinete do seu chapéu para limpar o carburador. Em uma das paradas da viagem, comprou benzina em uma farmácia para abastecer o veículo, dando origem ao primeiro posto de combustível de estrada. E o marido só ficou sabendo da aventura quando os três já estavam na estrada.

Fonte (Aventuras na História – Uol)

Duquesa d’Uzés

Duquesa D'Uzés Dia Internacional da Mulher

A Duquesa Anne d’Uzès foi a primeira mulher a ter habilitação para dirigir, em 1898. Alguns meses depois a francesa entrava para a história novamente por ser a primeira pessoa a receber uma multa por excesso de velocidade. Ela acelerava pelas ruas parisienses a cerca de 40 km/h, o permitido na época era 20 km/h.

A habilitação foi um marco, mas não a única grande ousadia de Anne, considerada uma das mulheres mais originais de seu tempo. Anne foi a que fundou o primeiro clube feminino do automóvel da França e foi vice-presidente do grupo de mulheres do aeroclube francês.

Fonte (Webmotors)

Mary Anderson

Mary Anderson

Em novembro de 1903, a Americana Mary Anderson criou a primeira patente para um sistema automatizado de para-brisa controlado pelo lado interno do veículo, ou simplesmente, o limpador de para-brisa.

Anderson observou que os motoristas tinham que abrir as janelas para ver a direção durante o mau tempo, às vezes até parando o carro e saindo para limpar.

A ideia era uma alavanca dentro do veículo, que controlava um braço com mola e uma lâmina com ponta de borracha. A alavanca tinha um contrapeso para manter o limpador em contato com a janela e mover a lâmina pelo pára-brisa, com a borracha removendo a chuva ou neve. Com sua patente, a invenção de Anderson provou ser o primeiro dispositivo de limpeza de pára-brisa a ser eficaz.

À medida que a direção se tornava cada vez mais comum, o limpador de para-brisa foi finalmente adaptado para uso automotivo. Em 1922, a Cadillac começou a instalar o limpador como um equipamento padrão em seus carros e hoje é um aparelho obrigatório em todos os tipos de veículos.

Fonte (Hall da Fama dos Inventores)

Madame Camille Du Gast

Madame Du Gast Dia Internacional da Mulher

Camille Du Gast, é conhecida como a primeira mulher a alcançar a fama como um piloto de corridas.

Na época, seu marido comprou um Peugeot e um Panhard-Levassor, que ela logo ela se adaptou e começou a dirigir. Numa época em que era socialmente difícil que uma mulher substituísse seu marido como motorista, foi exatamente isso que Camille du Gast fez.

Então, em 1901, ela entrou na grande corrida de automóveis de Paris-Berlim. Seu mecânico era o príncipe du Sagan, a quem um jornal de Paris descreveu de maneira bastante incomoda como “um dândi (significado para uma pessoa elegante e de requinte) atraído pelo cheiro de óleo e gasolina”. Ela dirigiu com cautela e foi premiada com o 19º lugar na classe pesada e o 33º geral dos 47 finalistas.

Fonte (Historic Racing)

Maria Teresa de Filippis

Maria Teresa de Filippis Dia Internacional da Mulher

Maria Teresa de Filippis foi primeira mulher a correr pela Fórmula 1. Fillipis participou da principal categoria do automobilismo entre 1958 e 1959 e atuou em três grandes prêmios: o de Portugal, Itália e Bélgica.

Seu melhor desempenho foi no tradicional circuito de Spa-Francorchamps, largou na 15ª posição e conseguiu terminar a corrida na 10ª posição. Em Portugal e Itália ela não completou as provas por conta de problemas mecânicos. Sua última tentativa de qualificação para uma corrida foi em 1959, no circuito de Monaco.

Um dos fatos mais marcantes da carreira foi sua proibição para atuar no Grande Prêmio da França, quando o diretor da etapa, Toto Roche, declarou: “que uma jovem tão bonita não deveria vestir capacetes, exceto os do cabeleireiro“, isso acabou deixando Maria Teresa extremamente irritada. Uma nova mulher a correr na categoria surgiria apenas 15 anos mais tarde, com Lella Lombardi, que vamos contar mais abaixo.

Fonte (Gazeta Esportiva)

Louise Smith

Louise Smith Dia Internacional da Mulher

Louise Smith é conhecida como uma das primeiras mulheres a correr na NASCAR no mais alto nível. Ela era conhecida como “a primeira-dama da Nascar”.

Na década de 1940, o promotor de corridas Bill France Sr. estava procurando maneiras de atrair mais mulheres para o esporte. Ele decidiu que o que ele precisava era de uma piloto que pudesse lidar com os desafios da pista e, com sorte, trazer mais mulheres para as corridas.

Ele encontrou seu motorista na Carolina do Sul, era uma mulher chamada Louise Smith. Smith nunca tinha estado em um carro de corrida – na verdade, ela nunca tinha visto uma corrida -, mas aproveitou a chance.

Smith subiu dentro de um cupê Ford 1939 modificado, acelerou e terminou em terceiro lugar. Como ela nunca tinha visto uma corrida antes, não sabia que tinha terminado a corrida quando eles agitaram a bandeira quadriculada, então continuou dirigindo. Finalmente, alguém teve que acenar uma bandeira vermelha para fazê-la parar.

Fonte (Blog Hertz)

Lella Lombardi

Lella Lombardi Dia Internacional da Mulher

Lella Lombardi é a piloto feminina de maior sucesso na história da Fórmula 1. Ela continua sendo a única a ser classificada nos pontos do campeonato mundial depois de terminar em sexto no Grande Prêmio da Espanha de 1975.

Sua carreira em 12 corridas de GP terminou e Lombardi estreou na NASCAR no Firecracker 400, em 1977, em Daytona. Ela mudou para carros esportivos e venceu eventos do campeonato mundial em Enna-Pergusa e Vallelunga em 1979 com um Osella PA7-BMW. Sua terceira vitória na marca foi a Mugello Six Hours de 1981, quando Lombardi e o co-piloto Giorgio Francia terminaram em quarto no campeonato mundial de pilotos.

Ela também correu no Campeonato Europeu de Carros de Turismo e tinha acabado de aproveitar sua melhor temporada em 1985, quando ficou doente e alguns dias descobriu um câncer, vindo a falecer em março de 1992.

Fonte (Revista MotorSport)

Giovanna Amati

Giovanna Amati Dia Internacional da Mulher

Giovanna Amati é uma ex-piloto da Itália e a última mulher a disputar o mundial de Fórmula 1.

Na temporada 1992 quando tentou se classificar para as três primeiras corridas (incluindo o Brasil) acabou não conseguindo e foi substituída por Damon Hill, que também não conseguiu classificar o carro nas corridas imediatamente seguintes.

Fonte (Wikipédia)

Danica Patrick

Danica Patrick Dia Internacional da Mulher

Danica Patrick um dos nomes femininos mais conhecidos no esporte a motor mundial. Embora não seja uma colecionadora de títulos e vitórias, a norte-americana foi uma pioneira: A primeira mulher a vencer na Indy e a conquistar a pole-position da Nascar.

Está aposentada das corridas desde 2018, quando se despediu do esporte nas 500 Milhas de Daytona da Nascar e nas 500 Milhas de Indianapolis da Indy, Patrick deixou um legado para trás, uma vez que conseguiu provar que é plenamente possível que uma mulher vença uma corrida.

Na temporada 2008, em Motegi, fez história ao conquistar sua primeira ― e única ― vitória na Indy. No total, ela disputou 116 GPs, alcançou um total de sete pódios, três poles e duas voltas mais rápidas, e teve seu melhor desempenho em 2009, quando fechou a temporada no quinto posto, 223 pontos atrás do campeão Dario Franchitti.

Fonte (Grande Prêmio)

Mary Barra

Mary Barra

Mary Barra é uma das personalidades femininas mais conhecidas no mundo automotivo dessa década: é a presidente da General Motors Company (GM).

Barra foi a primeira mulher a ocupar o posto de CEO em uma grande montadora global, cargo que ocupa desde 2014 e já foi eleita uma das pessoas mais influentes do mundo pela revista Time. Mary Barra também faz parte do corpo de conselheiros da The Walt Disney Company desde 2017. Ela tem um doutorado honorário pela Duke University.

Fonte (Suno Research)

Essas mulheres deram o passo inicial na inclusão de muitas que hoje estão ocupando ainda mais o setor automotivo em diversas áreas. Ser mulher é ter liberdade, igualdade e definer as metas com atitude, então esse dia é para lembrar a todos disso.

Como todas as mulheres citadas acima, também temos uma equipe de mulheres determinadas aqui na Prado Powerchips! Nossa equipe conta com 8 mulheres no time, sendo dos setores de atendimento, administração, suporte, financeiro e Marketing.

A família Prado Powerchips deseja a todas as mulheres guerreiras e amantes do automobilismo um parabéns pelo seu dia.

Feliz Dia Internacional da Mulher! ❤

Comentários
shares
error: Content is protected !!