Ecm Titanium – Versão Full Ou Crédito?

Ecm Titanium – Versão Full Ou Crédito?

Equipamentos Alientech

ECM Titanium – Versão Full ou Crédito?

Atualmente o Software de remapeamento está disponível em duas versões: Full e Crédito. E a dúvida dos cliente é qual escolher para trabalhar? Nessa matéria vamos te explicar a diferença entre essas versões.

ECM Titanium – Versão Full ou Crédito?

O software foi desenvolvido pela Alientech e projetado para trabalhar com reprogramação eletrônica, permitindo o acesso às informações contidas dentro da memória original da central eletrônica de injeção do veículo, responsável pelo gerenciamento do funcionamento de um motor. Para conseguir este arquivo é necessário acessar o Alientech Databank, efetuando o download dos arquivos originais para então realizar as modificações ou ler a ECU com os equipamentos Alientech:

KessV2: Leitor Serial via tomada de diagnose.

K-Tag: Leitor Serial via bancada.

O ECM Titanium é integrado a um pen drive USB com 16GB de memória de armazenamento, e não precisa ser instalado no disco rígido de um computador. Para usar o software é necessário apenas inserir o pen drive na porta usb e executar o seu arquivo de gerenciamento.

  • FULL: Acesso ao portal ticket para assistência técnica, acesso ao Alientech Databank para download de arquivos originais e acesso a todos os drivers disponíveis dentro do software ECM Titanium.

  • CRÉDITO: Acesso ao portal ticket. Nessa versão os drivers são adquiridos individualmente. Na compra você recebe um pacote inicial com um número de créditos limitados para fazer o download de drivers. Ao consumir todo o pacote é possível realizar nova recarga para download de novos drivers.

Qual a melhor opção? Full ou Crédito?

  1. Para você que atende uma determinada categoria de veículos ou marca especifica, ou está iniciando neste mercado e quer realizar um investimento menor, a versão CRÉDITO pode ser uma boa opção. Com ela você consome apenas o necessário para sua demanda.
  2. Já para clientes que atendem uma grande gama de veículos e prestam o serviço de desenvolvimento para outras pessoas a versão FULL é a melhor opção.

O Layout do software é o mesmo para as duas versões e, caso seja necessário, é possível transformar a versão CRÉDITO na versão FULL.

VEJA MAIS

Veja o vídeo onde explicamos os dois formatos em detalhes e se inscreva no nosso canal do youtube.

POST RELACIONADOS

Atualização K-Suite 3.97 – BOSCH EDC16

Atualização K-Suite 3.97 -...

Atualização K-Suite 3.96 – Linha Pesada

 Atualização K-Suite 3.96 -...

Atualização K-Suite 3.95 – Motos por OBD

Atualização K-Suite 3.95 -...

Atualização K-Suite 3.94 – Leve e Truck

Atualização K-Suite 3.94 -...

Atualização K-Suite 3.93 – ACDelco por K-Tag

 Atualização K-Suite 3.93-...

Atualização K-Suite 3.91- Bosch EDC16 e MED9

Atualização K-Suite 3.91 -...

Atualização K-Suite 3.90 – Linha Agrícola

 Atualização K-Suite 3.90 -...

Atualização K-Suite 3.89 – BMW Motorrad

Atualização K-Suite 3.89 -...

ECM Titanium 2.2 – Em Evolução Contínua!

Equipamentos AlientechECM...

Atualização K-Suite – ECUs para KessV2 e K-Tag

Atualização K-Suite - ECUs...

Reprogramação Eletrônica –  Pajero Full

Reprogramação Eletrônica – Pajero Full

Veículos

Reprogramação Eletrônica para Pajero Full 2018

Conheça o nosso serviço para a Mitsubishi Pajero Full 

Reprogramação Pajero Full 2018

A Pajero é hoje o utilitário esportivo de competição mais utilizado em rally, e está no topo da lista dos veículos fabricados pela Mitsubishi, disponível em várias versões: Pajero Sport, Dakar, Hpe e a Outdoor.

Através do serviço de reprogramação eletrônica conseguimos otimizar sua potência e melhorar ainda mais o seu desempenho, aumentando sua cavalaria e a capacidade de arrasto. Como todo veículo eletrônico, seu motor é gerenciado através de uma central de injeção, ou “ECU” (electronic control unit), responsável pelo gerenciamento do motor.

central chip de potencia curso de remapeamento

CONHEÇA a motorização  DA PAJERO NO modelo no Brasil:

Um veículo impressionante pela sua beleza e conforto com motores a gasolina ou a diesel. Realizamos o serviço na nossa loja de Curitiba-PR um modelo equipado com o motor 3.2 Turbo Diesel ano 2018, com a potência original de 200cv à 3800 rpm, torque máximo de 44,7 kgfm entre 2000 – 2750 rpm e transmissão automática de 5 marchas com sistema sequencial Sport Mode. 

Com os equipamentos da Alientech conseguimos, sem nenhuma alteração mecânica, modificar o software original que está dentro da ECU, através de mapas de injeção, pressão de turbina e limitadores de torque. Com essas modificações conseguimos um ganho de até 40cv de potência e 8 quilos de torque no motor*. Como resultado, alcançamos múltiplos benefícios como ganhos de potência, melhor desempenho, mantendo o consumo original de combustível e melhorando o tempo de resposta.

Caso seja de preferencia do cliente, pode ser colocado um Filtro de Ar Esportivo PowerMax, assim o resultado pode ser ainda melhor para o veículo. 

*resultados aproximados, pode haver diferenças entre os modelos.

Original

Potência

Torque

Modificado

Potência

Torque

Equipamentos utilizados na pajero full

K-tag master tabela de aplicação e revendedor

Leitor K-Tag

Equipamento responsável pela comunicação diretamente na central eletrônica do veículo, lendo o arquivo original ou gravando as informações modificadas na injeção. Este procedimento é realizado em bancada, ou seja, fora do veículo.

kessv2 master tabela de aplicação e revendedor

Leitor KessV2

Equipamento responsável pela comunicação via tomada de diagnose, lendo ou gravando as informações da central de injeção eletrônica do veículo.

SERVIÇO REALIZADO

Confira no vídeo abaixo a medição do serviço de Reprogramação Eletrônica Mitsubishi Pajero 2018 em nosso dinamômetro na loja de Curitiba – PR.

Quer fazer o serviço em sua Pajero?

Se você ainda não conhece ou tem dúvidas sobre como o serviço de reprogramação eletrônica funciona e qual é o resultado da otimização de potência para o seu veículo, faça um cadastro no botão abaixo que entramos em contato para esclarecer todas as suas dúvidas.

POST RELACIONADOS

Chip de Potência para Chevrolet Cruze

VeículosChip de Potência...

Filtro de Ar Esportivo PowerMax

Filtros de Ar PowerMax:...

Reprogramação Eletrônica Amarok

Reprogramação Eletrônica...

Reprogramação Eletrônica Nissan Frontier

Veículos Reprogramação...

Reprogramação Eletrônica para S10

Veículos  Reprogramação...

Reprogramação Eletrônica Amarok

Reprogramação Eletrônica Amarok

Reprogramação Eletrônica para Volkswagen Amarok

Conheça o esse serviço para sua Amarok, como essa reprogramação é feita e os benefícios para essa pick-up!

Reprogramação para Amarok

Algumas pessoas devem saber da história da Taro, a picape que a alemã Volkswagen produziu entre os anos de 1989 e 1997. A Taro era basicamente a Toyota Hilux com emblemas trocados — já que a Toyota ainda não tinha entrado no mercado europeu. Porém a entrada da marca no mercado das picapes se efetivou com a Amarok.

Em 2005 a Volkswagen anunciou que tinha intenções de construir uma família de veículos off-road e picapes robustas. Cinco anos mais tarde, a tal picape deu as caras (ou melhor 35 delas) no evento Rally Dakar 2010 como veículo de apoio. Foi depois desse evento que a Amarok foi oficialmente lançada para o público brasileiro.

Produzida, à princípio, na Argentina, a Amarok (que significa “lobo”) vinha na versão Highline com motor 2.0 TDI biturbo acoplado a um câmbio manual de seis velocidades. Esta versão produzia 163cv e 40,7 kgfm de torque, disponíveis a 1.500 RPM. Em dezembro de 2010 a Volkswagen lançou uma versão mais simples da picape, com mesmo motor e câmbio, mas desta vez com apenas um turbocompressor. Essa versão rendia 122cv e 34 kgfm de torque.

Já em 2012 a Volkswagen conseguiu trazer melhorias ao motor de 163cv da Amarok, que passou a contar com 180cv e 42,8 kgfm de torque. Um ano depois, foi a vez da versão de 140cv ser agraciada também com uma atualização, contando com 180cv e 42,8 kgfm de torque.

vw taro amarok

VW Taro 1992 (Imagem por: Wikimedia)

 De 2013 até 2015 a Amarok ficou entre o top 10 em vendas encontrando seu espaço no mercado. Em 2015 a VW passou pelo escândalo da Dieselgate, fazendo com que retirasse do seu portfólio algumas versões 2.0 TDI, trazendo então o V6 de 225cv e 56,1 kgfm de torque — herdado da Audi — que está em utilização até hoje.

Diferente das outras picapes da sua categoria, a Amarok foi projetada para se aproximar ao máximo de um carro de passeio, tanto em seu conforto interno quanto sua condução. Há ainda quem brinque dizendo que “a Amarok é um Jetta vestido de picape”. E não é para menos, a Amarok conta com diversas tecnologias que deixam seu uso ainda mais confortável e dinâmico.

Seu sistema de tração 4×4 batizado de 4Motion é ativado automaticamente pelo sistema do veículo, ou seja, sem a necessidade de o condutor fazer a mudança manualmente. Além disso, não conta com uma marcha específica para a reduzida, já que a 1ª marcha serve para isso em casos mais extremos. O câmbio Aisin de 8 marchas é o utilizado em quase todas as configurações, tendo a opção manual de 6 marchas apenas para as versões S e SE (também com sistema 4Motion).

Em resumo, a Volkswagen Amarok é uma ótima escolha para quem busca um veículo bonito, confortável e dinâmico. Sendo assim, é uma picape com ótimas utilizações na estrada e em centros urbanos, mas sem deixar a desejar em situações off-road.

motor amarok v6

Motor V6 Amarok (Imagem por: Car Blog)

O que é chip de potência ou remapeamento de injeção?

A

Conhecido popularmente por chip de potência, o remapeamento de injeção é um serviço que trabalha na ECU do veículo, ou seja, na unidade de controle eletrônico (Electronic Control Unit)­. Antes de mais nada vamos entender melhor a ECU. Essa unidade, que possui um microprocessador e memória, é responsável por enviar e receber informações do veículo. No caso do motor, a ECU atua em basicamente três etapas: coleta de dados, processamento e atuação.

A

Na coleta de dados, a ECU recebe informações dos vários sensores espalhados no veículo. Esses dados são processados e geram os sinais de saídas nos atuadores. Por exemplo: um sensor identifica uma determinada fase de RPM em uma determinada marcha e o quanto o acelerador está sendo pisado. Caso o acelerador tenha mais força aplicada sobre ele, esse comando é enviado para a ECU, é processado e entregue aos atuadores que abrem mais a borboleta eletrônica e injetam mais combustível entregando mais potência.

O remapeamento de injeção é a alteração do software presente nessa central de controle. Ou seja, é a alteração dos parâmetros de controle de ignição, abertura de borboleta eletrônica, injeção de combustível, atuação de sensores, etc. A Prado Powerchips é representante exclusiva da Alientech no Brasil há mais de 20 anos e oferece soluções desde o serviço em veículos como também a comercialização das principais ferramentas do mercado para reprogramação eletrônica.

 Além de não exigir nenhuma modificação mecânica, nosso serviço de remapeamento de injeção é feito respeitando alguns limites, deixando sempre a segurança e a durabilidade em primeiro lugar. Em média, o ganho em veículos aspirados fica em até 10% e em motores turboalimentados até 30% (em cima da potência e torque originais, como na Amarok que iremos ver abaixo).

 

Como podemos melhorar ainda mais na Amarok?

A Volkswagen Amarok é uma picape com diversas qualidades. Ainda assim é possível trazer melhorias bastante significativas ao seu desempenho, e o melhor de tudo, sem afetar a estrutura do veículo, tampouco prejudicar sua durabilidade.

Como explicado no início da matéria, a Volkswagen Amarok, desde seu lançamento, oferece cinco opções de motorização. Por se tratarem de motores turboalimentados, com o remapeamento de injeção eletrônica é possível obter um ganho é de até 30% em média. O motor 2.0 TDI pode ganhar até 40cv e 8 kgfm otimização de potência, e o motor 3.0 V6 TDI o ganho pode chegar até 60cv e 12kgfm no stage 1. O ganho de potência está dentro de uma margem de segurança, mantendo a confiabilidade e a segurança de fábrica.

Amarok 2.0 TDI

I

Original: Amarok 2.0 TDI – 140cv e 34,7 kgfm de torque

I

Modificado: Amarok 2.0 TDI – 180cv e 42,8 kgfm de torque

Amarok 3.0 V6 TDI

I

Original: Amarok 3.0 V6 TDI – 225cv e 56,1 kgfm de torque

I

Modificado: Amarok 3.0 V6 TDI – 285cv e 68,1 kgfm de torque

*valores aproximados de potência e torque

Filtro de Ar Esportivo Powermax

O primeiro acessório é o Filtro de Ar Esportivo Powermax. Este modelo de filtro é instalado na caixa de ar do motor do seu veículo, no mesmo lugar do original, ou seja, não precisa modificar nada no veículo, deixando tudo mais fácil e prático. Além disso, existe uma grande diferença entre o original e o filtro Powermax.

O primeiro ponto é a durabilidade, que no caso do Powermax é de até 2 anos de uso ou 60 mil quilômetros — só aqui já é um custo-beneficio enorme. Além disso ele também é lavável, então você não precisa se preocupar com a troca do filtro de ar a cada troca de óleo.

Outro beneficio ao utilizar o Filtro de Ar Powermax é a melhora no desempenho, pois com maior fluxo e maior quantidade de ar para dentro do motor, há uma melhora significativa na combustão e consequentemente na entrega de desempenho.

filtro de ar esportivo powermax amarok

Filtro Powermax PMF4750 para Amarok

Módulo de Perfomance Shiftpower 4.0+


shiftpower-cabo

Módulo de Performance Shiftpower 4.0+

Outro acessório bastante utilizado na Amarok é o módulo anti-delay para pedal de acelerador eletrônico Shiftpower. Um módulo de performance que elimina o atraso de aceleração com diversos modos de condução e segurança. Para permitir o máximo de personalização em sua performance, agora com bluetooth integrado você poderá baixar o aplicativo disponível para IOS e Android e comandá-lo pelo seu celular.

Sabe aquele atraso na resposta do veículo quando você pisa no acelerador? O Shiftpower age diretamente no pedal do acelerador adiantando essa resposta e tornando o veículo muito mais responsivo.  A Prado Powerchips é revendedora autorizada da Faaftech e você pode adquirir seu módulo entrando em contato conosco.

Assista o vídeo com mais detalhes sobre a amarok:

Quer fazer o serviço em sua Volkswagem Amarok?

Se você ainda não conhece ou tem dúvidas sobre como o serviço de reprogramação eletrônica funciona e qual é o resultado da otimização de potência para o seu veículo, faça um cadastro no botão abaixo que entramos em contato para esclarecer todas as suas dúvidas.

POST RELACIONADOS

Reprogramação Eletrônica – Pajero Full

VeículosReprogramação...

Reprogramação Eletrônica Nissan Frontier

Veículos Reprogramação...

Chip de Potência para Chevrolet Cruze

VeículosChip de Potência...

Reprogramação Eletrônica para S10

Veículos  Reprogramação...
Chave Offline para KessV2

Chave Offline para KessV2

eQUIPAMENTOS aLIENTECH

CHAVE OFFLINE

Conheça a chave offline da Alientech para KessV2, que permite trabalhar com o equipamento sempre atualizado em lugares sem alcance de internet.

Chave Offline para KessV2

A Chave offline para KessV2 – Pequena, leve e de fácil manuseio, a chave permite percorrer longas distâncias, seja na cidade ou no campo, possibilitando aos usuários do KessV2 trabalhar com o equipamento sempre atualizado em lugares sem alcance de uma Internet ativa de forma prática e eficiente.

Uma vez codificada ao KessV2, a chave off-line pode ser recarregada pelo usuário quantas vezes forem necessárias através da porta USB do computador. Cada recarga tem duração de até 8 horas de uso e podem ser monitoradas através do software K-Suite.

OBS: disponível apenas para KessV2, não compatível com K-Tag.

Leitores que recebem a Chave Offline

 

KessV2 slave chave offline

KessV2 Slave

 

Nesta versão é possível efetuar a leitura via tomada OBD dos arquivos originais e a gravação dos arquivos modificados de forma segura, ou seja, sem depender de nenhuma outra ferramenta. Está é a escolha certa para quem já conhece este segmento.

KessV2 master chave offline

Kessv2 Master

A Alientech oferece a maior rede de Master do mundo, dessa forma auxiliam os seus Slaves,  aqueles que desejam iniciar neste segmento adquirindo um equipamento profissional e arquivos modificados sob medida para cada necessidade.

VEJA MAIS

Neste vídeo você vai conhecer detalhadamente sobre a  ferramenta KessV2 e se inscreva no nosso canal do youtube.

COMPRE A CHAVE OFFLINE

Clique no botão e preencha o formulário para agendar uma ligação com os nossos técnicos e aquirir a chave offline ou tirar todas as suas dúvidas sobre o equipamento.

POST RELACIONADOS

Atualização K-Suite 3.97 – BOSCH EDC16

Atualização K-Suite 3.97 -...

Atualização K-Suite 3.96 – Linha Pesada

 Atualização K-Suite 3.96 -...

Atualização K-Suite 3.95 – Motos por OBD

Atualização K-Suite 3.95 -...

Atualização K-Suite 3.94 – Leve e Truck

Atualização K-Suite 3.94 -...

Atualização K-Suite 3.93 – ACDelco por K-Tag

 Atualização K-Suite 3.93-...

Atualização K-Suite 3.91- Bosch EDC16 e MED9

Atualização K-Suite 3.91 -...

Atualização K-Suite 3.90 – Linha Agrícola

 Atualização K-Suite 3.90 -...

Atualização K-Suite 3.89 – BMW Motorrad

Atualização K-Suite 3.89 -...

ECM Titanium 2.2 – Em Evolução Contínua!

Equipamentos AlientechECM...

Atualização K-Suite – ECUs para KessV2 e K-Tag

Atualização K-Suite - ECUs...

Chip de Potência, o que é afinal?

Institucional

CHIP DE POTÊNCIA, O QUE É AFINAL?

Chip de potência, remapeamento, reprogramação eletrônica… esses nomes são conhecidos por você? Se você está aqui certamente alguém já deve ter comentado contigo sobre este assunto, aprenda mais sobre este serviço e conheça de fato o que é e para que serve!

A História do Chip de Potência

Para falar sobre o chip de potência vamos voltar no tempo lá no fim da década de 80 quando os veículos no Brasil ainda eram equipados com o carburador, dispositivo responsável pela alimentação e o gerenciamento do motor, que era totalmente mecânico. Nesta época existiam muitos desafios para o bom funcionamento. Isso acontecia pelo fato do motor não ter uma auto adaptação em suas diversas condições de uso. Percebendo isso, as indústrias começaram a substituir estes modelos e os veículos passaram a vir equipados com um sistema de injeção eletrônico, conhecido fora do país como ECU, sigla em inglês que traduzida significa central de controle do motor.

 Ela pode ser comparada a um computador que monitora e gerencia o funcionamento do motor com mais eficiência por estar ligado a diversos sensores e atuadores. Este contexto permitiu que os fabricantes fizessem um motor que tem ampla aplicação, ou seja, um mesmo motor pode ser aplicado em vários modelos veículos e com potência e torque variado, isso pode acontecer por vários motivos, entre eles: leis ambientais, leis de trânsito, tributação e questões comerciais. Sendo assim, existe então uma margem que pode ser trabalhada proporcionalmente, podendo assim realizar a otimização de potência sem trazer nenhum risco ao correto funcionamento ao motor.

Como funciona o chip de potência?

O termo chip de potência é antigo, pois na época quando surgiu o sistema de injeção, na placa da central era soldado um chip, ou seja, um componente que o nome técnico é EPROM e dentro deste chip estava gravado todas as informações referente a rotina do motor ou também conhecido como mapas de funcionamento, logo, foi ai que surgiu o nome chip de potência. Com o passar do tempo a tecnologia evoluiu e a EPROM foi substituída pela memória flash e atualmente esta memória está incorporada ao microprocessador que está presente nas atuais centrais eletrônica de injeção.

Portanto, aconteceu uma evolução no nome deste serviço, de chip de potência passou a se chamar remapeamento da injeção, reprogramação eletrônica ou, parametrização em alguns casos. Em resumo podemos concluir que todos esses nomes se referem ao mesmo serviço, que é a alteração do software que está dentro da ECU.

Chip de potência banner

Como é feito esse serviço?

Existem várias forma de realizar este serviço. No início, o procedimento para se ter acesso aos dados da ECU era necessário a remoção de um chip da placa, e para conseguir realizar a leitura era necessário um programador de EPROM. Após ter o arquivo original salvo, era possível fazer a modificação dessas informações utilizando um software para remapeamento como exemplo o Ecm Titanium, e após realizar as modificações necessárias no arquivo é gerado um segundo arquivo: o modificado, que era gravado na EPROM e novamente era soldado a placa no sistema de injeção e novamente instalado no veículo para o motor funcionar de acordo com as novas configurações.

Com o passar do tempo, tivemos evoluções. O chip foi substituído por uma memória e o acesso a ela passou a ser via tomada de diagnose, sendo assim utilizamos como exemplo o KessV2, onde permite ler e gravar um arquivo via OBDII sem a necessidade de remover a central eletrônica do veículo.

E este não é o único procedimento, é possível também ter acesso ao arquivo original de um veículo utilizando o K-tag, que tem a função de ler e gravar, só que neste caso o procedimento precisa ser feito diretamente na central eletrônica de injeção. Para isso, faz-se necessário a remoção da ECU do veículo, trazendo ela para uma bancada, onde a comunicação pode ser feita através do conector da ECU ou realizando um boot direto na placa.

Para levantar esta necessidade, é preciso saber a marca, modelo, motor, ano e qual é o sistema de injeção que está instalado no veículo, a partir desta definição é possível identificar qual ferramenta é a indicada para realizar o procedimento de chip de potência.

Equipamentos Alientech usados nesse serviço

K-tag master tabela de aplicação e revendedor

Leitor K-Tag

Equipamento responsável pela comunicação diretamente na central eletrônica do veículo, lendo o arquivo original ou gravando as informações modificadas na injeção. Este procedimento é realizado em bancada, ou seja, fora do veículo.

kessv2 master tabela de aplicação e revendedor

Leitor KessV2

Equipamento responsável pela comunicação via tomada de diagnose, lendo ou gravando as informações da central de injeção eletrônica do veículo.

ecm titanium tabela de aplicação e revendedor

ECM Titanium

Software responsável em converter os arquivos lidos com o KessV2 e o K-Tag em gráficos e tabelas, e assim realizar alterações dos parâmetros originais da central de injeção, proporcionando uma nova configuração para o software que faz o gerenciamento do motor.

Existem riscos em realizar o serviço em meu motor?

Podemos afirmar que um serviço de reprogramação bem feito não vai afetar em nada a vida útil do motor de um veículo e também não vai alterar o consumo de combustível. Isso pelo fato de respeitarmos o limite físico e mecânico de potência e torque que o motor em questão pode suportar. Claro que neste caso estamos falando de motores totalmente originais e sem nenhuma modificação mecânica.

Podemos lhe dar como um exemplo real: o Motor N20 desenvolvido pela BMW. Este motor no Brasil vem equipado em diversos modelos de veículos da BMW, mas em especial vamos falar da 320i e da 328i. Ambas possuem a mesma carroceria F30 e o mesmo motor 2.0 16V Turbo, gerenciado por uma central eletrônica de injeção BOSCH MEVD17.2.X. A diferença de potência entre elas é que a 320i vem com 184cv de potência final e torque de 27.5 kgfm, já a 328i com 245cv de potência final e torque de 35,7Kgfm. 

Neste exemplo fica claro que a diferença está somente no programa que gerencia o funcionamento do motor. Sendo assim eu posso afirmar para você que é possível realizar uma modificação no software da injeção eletrônica que gerencia o seu motor otimizando o seu funcionamento, melhorando a sua performance e o seu desempenho. Veja mais sobre esse tema no vídeo abaixo:

Benefícios em realizar o serviço de chip de potência!

Existem vários motivos para realizar o serviço de chip de potência em um veículo, em primeiro lugar é a percepção que você terá no veículo reprogramado, pois ele vai responder muito melhor quando você pressionar o acelerador e sentir a retomada de marcha. Sendo assim, o desenvolvimento do veículo quanto a “potência e torque” ficam muito mais evidentes e marcantes após realizar este serviço. A entrega de potência fica mais linear permitindo uma experiência de direção muita mais segura e em muitos casos, emocionante.

Também é possível perceber que em um modo de condução normal de um carro bem remapeado  pode torna-lo mais econômico, pois com a sua otimização de potência e torque, é possível andar em uma mesma velocidade com menos torque.

Ao modificar os parâmetros programados pelo fabricante, proporciona a máxima potência do motor para o veículo que tenha sido enfraquecido pelo fabricante.

 Outro ponto importante é a personalização do software padrão, permitindo assim criar um software personalizado para se adaptar a mudança mecânica que pode ter sido feita no motor. No vídeo te explicamos mais sobre esses beneficios:

AGENDE SEU SERVIÇO

Clique no botão e preencha o formulário para agendar uma ligação com os nossos técnicos, tirar todas as suas dúvidas sobre o equipamento e agendar seu serviço.

POST RELACIONADOS

Reprogramação Eletrônica – Pajero Full

VeículosReprogramação...

Reprogramação Eletrônica Amarok

Reprogramação Eletrônica...

Reprogramação Eletrônica Nissan Frontier

Veículos Reprogramação...

Chip de Potência para Chevrolet Cruze

VeículosChip de Potência...

Reprogramação Eletrônica para S10

Veículos  Reprogramação...